Voltar



Fenômeno de Raynaud, entenda mais.

A amamentação nem sempre é um momento tão natural e confortável como gostaríamos que fosse…. Existem muitas dificuldades e obstáculos a serem enfrentados, desde problemas com a pega do bebê, dor no mamilo, inflamações, cansaço, baixa produção de leite e muito mais. E uma dessas dificuldades é conhecido como fenômeno de Raynaud (FRy), condição não tão rara (acomete cerca de 3,5 a 15% das lactantes), mas pouco falada.

O fenômeno de Raynaud geralmente se manifesta em extremidades do corpo (dedos dos pés e mãos), porém pode se observar acometimento também em outras regiões, como nariz, ouvido e mamilo.



No mamilo, acontece quando o mesmo adquire uma coloração esbranquiçada, imediatamente após o término da mamada, acompanhado de dor e incômodo. Tal fenômeno acontece por isquemia, ou seja, pela parada da circulação sanguínea local por um breve período de tempo. Aos poucos a circulação retorna e o mamilo volta à coloração normal. A alteração circulatória pode ter sua causa na sucção exacerbada do bebê, presença de algum trauma mamilar ou pela exposição ao frio (que é mais comum).

O vasoespasmo pode acontecer antes, durante ou após as mamadas, sendo mais comum após as mesmas. Pode durar alguns minutos até algumas horas, de acordo com o grau de isquemia, e muitas vezes é confundido com trauma ou “sapinho”. A grande diferença está no aspecto esbranquiçado do mamilo, que retorna à coloração normal após algum tempo, juntamente com o alívio da dor.

O tratamento do fenômeno de Raynaud tem foco na causa do vasoespasmo:

  • uso de compressa morna no mamilo pode auxiliar no retorno da circulação sanguínea e alívio da dor;
  • uso de alguns medicamentos indicados pelo médico, entre eles cálcio, magnésio, vitamina B6, alguns medicamentos que favoreçam a circulação sanguínea e o bloqueio das cadeias de cálcio, bem como alguns antiinflamatórios com ação analgésica. Esses medicamentos são utilizados em casos mais sérios, em que não há melhora espontânea, porém não há embasamento científico para seu uso;
  • melhorar a pega e posição do bebê para melhorar a ordenha e reduzir a pressão negativa da sucção do lactente;
  • evitar alimentos com cafeína e o cigarro (por conta da nicotina);
  • eliminar o uso de bicos artificiais, que podem favorecer a pressão negativa intraoral e piorar o vasoespasmo do mamilo.

É possível melhorar os sintomas e, em alguns casos, eliminá-los, por isso procure ajuda especializada ou seu médico aos primeiros sintomas.

A amamentação não deve causar dor!

Créditos do artigo:
Thais Banci, profissional da equipe de enfermagem da MiAmE Nursing, especialista em aleitamento materno e doula.

Quer saber mais, veja os contatos da Miame Nursing clicando AQUI

Créditos da edição e moderação:
Ana Paula Balog - Profissional de Marketing, Geração de Conteúdo e Moderadora no Mom's do ABC

 

Publicado em: 31/05/2021



Veja Também