Voltar



Tornando crianças resilientes... uma reflexão!

UMA IMPORTANTE REFLEXÃO SOBRE O TEMA "RESILIÊNCIA"

Quando se pergunta aos pais sobre a expectativa de vida para seus filhos, com certeza a resposta é o desejo de que sejam felizes, tenham sucesso e saúde. Para a conquista desses objetivos na vida, a criança precisa desenvolver competências, e uma das mais importantes é a RESILIÊNCIA.



O conceito de resiliência é explicado por alguns teóricos e, segundo Borges, como um processo, envolve a capacidade de utilizar recursos internos e externos, como os suportes familiares e social, para enfrentar situações adversas visando à adaptação positiva em sua vida. Resulta na capacidade de superar numerosos obstáculos, modelando e lapidando continuamente o seu modo de ser até alcançar sucesso na sua vida adulta.

Em momentos difíceis como este que estamos enfrentando atualmente, faz-se necessário concentrar esforços na mudança do mundo que nos cerca, considerando a resiliência com enfoque positivo, pois está ligada à saúde e bem-estar do próprio sujeito, assim como o contexto no qual ele está inserido.

Para colaborar com os filhos nessa tarefa, devem os pais canalizar a energia e atenção para eles, trazendo-os para bem perto de si, pois alguns atributos fundamentais no desenvolvimento da resiliência é o AMOR, disponibilidade dos pais, consistência e disciplina e, certamente, ninguém melhor que a família para desempenhar esse papel no processo do desenvolvimento da habilidade de se tornarem adultos resilientes, sabendo lidar melhor com o estresse, superar a pressão dos desafios da vida diária, tolerar melhor suas frustrações e saber respeitar os outros e a si próprio.

As evidências científicas atuais comprovam que o sucesso que a criança e o adolescente podem alcançar na vida adulta depende de suas habilidades, seus pontos fortes e modelo dos pais, assim como a ajuda no desenvolvimento da habilidade da empatia: ser empático com o filho, colocar-se no lugar dele, ver o mundo através dos olhos dele, e isso não é fazer o que ele quer, mas sim tentar e validar os seus pontos de vista, ainda que discordem dele. Desse modo, também será dado a ele grande estímulo para desenvolver empatia com os próprios pais e com os outros.

A arte da comunicação terá implicações importantes; para tanto, os pais devem ouvir e validar o que os filhos tentam explicar, jamais ofendendo-os ou diminuindo-os; convém evitar palavras de sentido absoluto, como “sempre” e “nunca”. Lembrem-se de que os filhos desenvolvem sua comunicação a partir de modelos aprendidos durante o processo de sua vida.

É importante os pais também serem resilientes, pois sabem que devem mudar o roteiro quando os filhos não mudam o seu. Criar rotas alternativas para um final comum não é tarefa fácil.
Amor de pai e mãe é incondicional, mas não significa que consente todas as transgressões. Demonstrar amor também é expressar a confiança e admiração,reconhecer os próprios erros e pedir desculpas, reservar “momentos blindados de dedicação”, aceitar seu filho dentro da perspectiva diversa e não a partir de suas próprias expectativas, porém, sem tolerar comportamentos inadequados.

Hoje comprova-se que a determinante mais importante no sucesso do futuro dos filhos, nos vários contextos de suas vidas, são suas habilidades e não as dificuldades. Sendo assim, pais, invistam nelas, promovam a autoconfiança e autoestima, esperança e otimismo em seus filhos.

Filhos que têm forte senso de responsabilidade, compaixão e consciência social tornam-se resilientes, sabem resolver seus problemas e alcançam o sucesso na vida adulta.

Autor desconhecido.

Créditos da edição e moderação:
Ana Paula Balog - Profissional de Marketing, Geração de Conteúdo e Moderadora no Mom's do ABC

 

Publicado em: 13/05/2021



Veja Também